Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

BLOGUE DO MANEL

A vida tem muito para contar e partilhar com os demais. Esta é a minha rede social para partilhar histórias, momentos e pensamentos, a horas ou fora de horas, com e sem pés nem cabeça. Blogue de Manuel Pereira de Sousa

BLOGUE DO MANEL

A vida tem muito para contar e partilhar com os demais. Esta é a minha rede social para partilhar histórias, momentos e pensamentos, a horas ou fora de horas, com e sem pés nem cabeça. Blogue de Manuel Pereira de Sousa

PORTUGAL: O QUE É SER PORTUGUÊS?

Manuel Pereira de Sousa, 14.07.11



Pesado país que ainda vives, Portugal, neste dia 10 de Junho. Pesados vivem os teus tristes e, muitas vezes, deprimidos portugueses que incrédulos assistem a uma lenta agonia de teus dias cada vez mais incertos. Que futuro esperar de ti Portugal? Que fazer para mudar a tua face e trazer-te de novo à glória?

Por vezes, se duvida que o projecto a que se chama Portugal consiga resistir à crise económica e à crise de valores também fortemente enraizada. Questiono a actual soberania e a capacidade de sozinhos podermos vencer.
Tanto esplendor no passado, tantas conquistas, tantas glórias, tantos conhecimentos, tantas revoluções políticas e sociais compõem a nossa História. Necessitamos de mais revoluções? Necessitamos de mais astúcia? Necessitaremos com certeza de muita coisa que nos traga à tona. Justiça, equidade, educação, é tanto aquilo que necessitamos com urgência para que os desígnios da nação não se percam definitivamente.
Tantas vezes vivemos mal e no fundo de desespero. Fomos tomados por estrangeiros e sempre vencemos com a nossa força e a nossa luta. Tantos verteram sangue e suor por uma réstia de esperança. Está na hora de buscar a força, a inteligência e a astúcia para reerguer Portugal e para se fazer cumprir os desígnios do país.

Mas, o que é ser português?
Não é apenas melancolia, sonho ou fado, é muito mais e melhor; é pertencermos a uma força muito maior e para além do humano, material e racional; é pertencer a um esplendor que está com todos e no meio de cada um. Podemos viver mal ou no desenrasque, mas há muito mais que isso; há uma nação que não deixa de ser indiferente todos aqueles que vêm de fora e que de cá partem. Partem diferentes e com uma alegria que os marcará para sempre. Somos acolhedores, amigos de todos os povos; somos humildes e honestos, contrariamente a alguns que envergam o poder; somos um povo que constitui uma nação que marca a diferença neste nosso mundo.


 


M. Brunner

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.