Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

BLOGUE DO MANEL

A vida tem muito para contar e partilhar com os demais. Esta é a minha rede social para partilhar histórias, momentos e pensamentos, a horas ou fora de horas, com e sem pés nem cabeça. Blogue de Manuel Pereira de Sousa

BLOGUE DO MANEL

A vida tem muito para contar e partilhar com os demais. Esta é a minha rede social para partilhar histórias, momentos e pensamentos, a horas ou fora de horas, com e sem pés nem cabeça. Blogue de Manuel Pereira de Sousa

O SILÊNCIO DOS PASSOS E O SEU ESQUECIMENTO

Manuel Pereira de Sousa, 01.10.14

E agora Sr. Primeiro-Ministro? Já está tudo mais calmo? Já recuperou a sua memória em relação ao passado?
A poeira parece estar a assentar em relação à polémica sobre o que o Sr. Pedro Passos Coelho ganhou, não ganhou, declarou, não declarou no passado em que era o responsável por uma organização não governamental, que pertencia à Tecnoforma. Era ou não deputado em exclusivo que lhe permitia ou não receber valores de outras empresas fora do Parlamento.
A forma como a história nos é contada torna-se confusa, tão confusa como todos os enredos que envolvem histórias entre muitos políticos e os interesses para lá da política. Acredito que muitas pessoas se tenham alheado da história, limitando-se ao julgamento.
De modo algum quero colocar em causa a palavra do Sr. Primeiro-Ministro nos seus esclarecimentos ao Parlamento – não tenho provas que me permitam referir que está a mentir. Porém, o que acho estranho e que me leva a desconfiar de toda a história foi o tempo que o Sr. Pedro Passos Colho demorou a esclarecer as situações – durante muito tempo procurou refugiar-se na falta de memória sobre os factos. Estranho que alguém tenha esquecido se estava como deputado em exclusivo ou não e é muito estranho que alguém não se lembre se estava a receber salário na prestação de um serviço – neste caso da dita organização ou da Tecnoforma. Podemos não lembrar dos tostões exatos, mas teremos sempre uma ideia dos valores auferidos durante a vida nos diversos cargos e empregos pelos quais passamos – pelo menos eu tenho essa ideia.
O que mais me repugna nesta história é saber que a transparência de quem nos governa, por vezes, tem que ser arrancada a ferros. O que mais me espanta é saber que os documentos da Assembleia da Republica têm falhas porque existem documentos que nos dizem que Pedro Passos Coelho era deputado em exclusividade e outros não.
A transparência política ou capacidade de se resolverem os mistérios sem grandes enredos, é aquilo que esperam os portugueses. Este caso pode será um elevado preço que o Primeiro-Ministro terá de pagar politicamente porque fez levantar polémica e alimentar histórias enquanto se resumia ao silêncio.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.