Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

BLOGUE DO MANEL

A vida tem muito para contar e partilhar com os demais. Esta é a minha rede social para partilhar histórias, momentos e pensamentos, a horas ou fora de horas, com e sem pés nem cabeça. Blogue de Manuel Pereira de Sousa

BLOGUE DO MANEL

A vida tem muito para contar e partilhar com os demais. Esta é a minha rede social para partilhar histórias, momentos e pensamentos, a horas ou fora de horas, com e sem pés nem cabeça. Blogue de Manuel Pereira de Sousa

ESTARÁ A ESPANHA ALHEIA À CRISE PORTUGUESA?

Manuel Pereira de Sousa, 20.04.11

Por: Manuel de Sousa
manuelsous@vodafone.pt

Poderá a Espanha viver alheia à crise portuguesa, que, neste últimos dias, está a estudada com detalhe pelos senhores do FMI, que corresponderam ao pedido de ajudar efectuado pelo governo português?
Em Portugal acredita-se que a situação em Espanha está mais calma, pelo menos não se fala com tanta frequência, comparativamente a países como a Grécia ou a Irlanda, numa situação bem pior que a realidade portuguesa. Porém, temos conhecimento que a crise também existe no país de Nuestros hermanos, mas que não se assemelha ao estado da economia e finanças do lado lusitano.
O pacote de medidas aos Espanhóis já se encontra em prática e prevê-se que, por agora, possa resolver o problema actual das finanças públicas ao contrário dos sucessivos pacotes de medidas de austeridade que têm sido impostos a Portugal. Não há receita que chegue e penalizações suficientes para travar a dívida pública e o défice estrutural. A economia espanhola poderá crescer a um ritmo de 2% ao ano, mesmo em tempo de crise e medidas apertadas, embora esse crescimento não suba muito mais até 2017, a acreditar nos dados do FMI, que em relação a Espanha nunca foram muito fiáveis.
A situação mais preocupante será em relação à taxa de desemprego que assume valores mais preocupantes e que teima em não baixar. Sai caro ao país pelo consumo dos recursos do Estado Social. Quanto ao défice, o decréscimo da percentagem tem sido considerável, mas, duvida-se que em 2013 seja possível mantê-lo abaixo dos 3%. Nesta situação, ou o desemprego baixa e a economia sobe para contrariar o défice ou terão de ser impostas novas medidas de contenção orçamental. Este é, para já, o pior cenário possível, que comparado com a situação de falência de Portugal é de sentir inveja do vizinho que tem o trabalho de casa feito. Falta saber com que medidas exactas e se aceitáveis para o povo espanhol.
Por mais positivo que sejam as análises económicas e que tenham afastado a Espanha de uma possível ajuda externa, esse risco não pode ser desconsiderado, com a subida da taxa de juro da dívida pública que também se faz sentir, motivada pela intervenção das agências de rating.
Portugal está muito próximo geograficamente, mas também está próximo em termos económicos ou não seriam os dois países grandes parceiros em diversos sectores e a Espanha depende muito da nossa economia.
Oxalá não esteja a Espanha no mesmo caminho de Portugal, seria um mau pronuncio para a Europa e para o Euro.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.