Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BLOGUE DO MANEL

A vida tem muito para contar e partilhar com os demais. Esta é a minha rede social para partilhar histórias, momentos e pensamentos, a horas ou fora de horas, com e sem pés nem cabeça. Blogue de Manuel Pereira de Sousa

BLOGUE DO MANEL

A vida tem muito para contar e partilhar com os demais. Esta é a minha rede social para partilhar histórias, momentos e pensamentos, a horas ou fora de horas, com e sem pés nem cabeça. Blogue de Manuel Pereira de Sousa

A EUROPA NO ABISMO: SERÁ QUE SE SALVA?

Manuel Pereira de Sousa, 12.12.11

A Europa está à beira de um abismo, mas não sabe se se atira ou se fica na ponta de um pequeno pedaço de terra que ainda lhe resta. A última cimeira foi mais uma igual a tantas outras cimeiras em que se tomam meras decisões (pequenos panos quentes) para acalmar os mercados – que já não acreditam nestas decisões e manifestam-no com quebras no rating e subidas nos juros sobre as dívidas soberanas.
Merkel quer desesperadamente tomar conta da União Europeia (UE) à sua maneira e com as suas regras – pretende a implementação do limite do défice nas Constituições ou tratados nacionais.
É compreensível que as contas públicas têm de ser regularizadas e que os países devem ter controlo sobre os gastos excessivos. Mas, ao tornar como constitucional os problemas económicos do país está a seguir-se por um caminho que é um erro. Estão os Estados a permitir que a sua soberania seja regulamentada por normas internacionais e não por opção própria. Não pode a senhora Merkel exigir que os países tenham défices como o da Alemanha e terem penalizações automáticas porque as economias nacionais, que compõem a UE, são muito diferentes. Além disso, não tendo memória curta, quando na década passada se impuseram limites ao défice nos 3% - com duras penalizações para quem o ultrapassasse -, a Alemanha foi perdoada por ter ultrapassado esse mesmo limite. Perante isto, que dirão os restantes europeus? Não deveriam ser tratados de forma igualitária?
Isto vem provar que as medidas tomadas na passada semana são meras medidas de cosmética que não têm a capacidade de resolver o grave problema Europeu.
Pretende-se criar uma Europa a 3 ou 4 velocidades e quebrar a pouca união que existe. Uma Europa com falta de união porque tem falta de carisma político, ideológico e porque não tem, na liderança, alguém que procure a unidade.
Vejo a Europa prestes a cair num precipício com uma grande assistência apática com os acontecimentos.

Manuel de Sousa
manuelsous@sapo.pt