Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MANEL

A vida tem muito para contar e partilhar com os demais. Esta é a minha rede social para partilhar histórias, momentos e pensamentos, a horas ou fora de horas, com e sem pés nem cabeça. Blogue de Manuel Pereira de Sousa

BLOGUE DO MANEL

A vida tem muito para contar e partilhar com os demais. Esta é a minha rede social para partilhar histórias, momentos e pensamentos, a horas ou fora de horas, com e sem pés nem cabeça. Blogue de Manuel Pereira de Sousa

MARCELO EM ESTADO DE GRAÇA

Manuel Pereira de Sousa, 12.03.16

Habemus presidente – Marcelo Rebelo de Sousa. A decisão não foi na capela Sistina, nem anúncio com fumo branco. Marcelo não veste branco, nem calça os vermelhos Prada. Qualquer semelhança com a eleição papal? Aclamado pelo povo, a esperança dos humildes, a criação de esperança para sarar as feridas. Assim chega Marcelo, quebrando protocolo, para se tornar diferente dos restantes moradores de Belém – igual a si próprio. Está em graça, o estado que vai tentar manter no seu mandato. Deseja ser diferente dos demais – sabe sê-lo. Durante a campanha, a elite criticou muito Marcelo – sem partido, sem opinião clara, amigo de todos qualquer que seja a opinião – e ele não os ouviu; ouviu quem lhe deu o voto – os anónimos, os que agora o recebem por entre a multidão. Marcelo chega como se tivesse 90% dos votos, não teve mais porque o povo está zangado com a democracia e com o Presidente. O novo presidente é a esperança dos portugueses – o que pode fazer dentro dos seus poderes? O primeiro caminho a fazer é levantar a moral das tropas e mantê-la sempre no alto. O resto aguardaremos pelos próximos capítulos. O caminho não será fácil e qualquer prognóstico pode ser errado.

AOS QUE ESTÃO COMIGO

Manuel Pereira de Sousa, 06.03.16

Estar só é uma condição que o ser humano pode decidir para sua vida – é uma opção. Ao escolher, tanto pode ser feliz como infeliz – tudo depende do rumo que lhe quer dar. Eu prefiro estar acompanhado – é a minha condição para estar bem comigo e com o mundo. Estar acompanhado daqueles de quem gosto porque gostam de mim e se preocupam com o meu bem-estar. Felizmente, ao longo da vida, fui arrecadando uma série de pessoas especiais na vida, pelas mais diversas razões e nas mais diversas circunstâncias. Essas pessoas pretendo manter sempre presentes porque, para além de contribuírem para o equilíbrio pessoal, merecem que tenha a maior estima e consideração; merecem que partilhe o melhor de mim. Mas o que é esse melhor de mim? É difícil explicar. É simplesmente partilhar a pessoa que sou, ter a mesma abertura em acolher, saber ouvir e dar a força necessária. Mais importante: ser verdadeiro. Todos precisamos de pessoas verdadeiras para estarem connosco. Procuro sê-lo. Por vezes, sinto receio de vir a não ser - mas quero sempre ser. Espero corresponder e dar de volta todas as maravilhas que os meus amigos me proporcionam. Uma simples conversa, um simples abraço de coragem, um sorriso, são uma fortuna que não tem preço e cada vez mais valiosa nos tempos que correm. Obrigado a todos eles.

TRUMP: A CONDESCENDÊNCIA DOS AMERICANOS

Manuel Pereira de Sousa, 03.03.16

Trump é um choque. Sim, um choque para o mundo. Quando se apresentou como candidato pelo Partido Republicano não me admirei – tão bons candidatos oferecem os republicanos (a lembrar-me de Bush) -, pensei que seria por pouco tempo, umas semanas talvez, dada a insensatez das suas posições públicas – muita polémica. Enganei-me. Muitos que pensavam como eu enganaram-se. Continua a marcar pontos em cada eleição. Vai ser o candidato Republicano a disputar as próximas eleições para a Casa Branca. Custa-me a perceber como tal é possível – é um choque para o mundo. O que veem nele para conduzir os destinos dos Estados Unidos da América? O que há nele que atraia? Estou a imaginar a sua vitória e nas consequências que daí resultarão. Bem, os grandes ditadores da História da Humanidade foram eleitos pelo povo e hoje condenados pela larga maioria. Teremos uma América imperialista, que fará a separação do povo por raças e géneros, aumentará a separação pela seleção da condição social; uma América que criará barreiras diplomáticas, humanitárias, que se fechará em muros sobre si mesma; teremos uma América que potenciará conflitos entre estados; além de, pouco importada com as causas ambientais. Custa-me saber que inúmeras mulheres acompanham e apoiam Trump, quando ele atira contra elas todo o seu machismo ignóbil. Custa perceber como vamos conseguir lidar com um presidente assim. Quero acreditar que na hora da verdade seja o derrotado, mesmo entre os Republicanos ou então estaremos perante uma reversão de valores do povo americano, que condescendentemente aceita que a Casa Branca tenha o pior Presidente da História da América.

HORAS TARDIAS

Manuel Pereira de Sousa, 03.03.16

Já são horas dormir, mas ainda não tenho sono. Apetece-me escrever algo que faça sentido ser lido. Não sei o que escrever. Todos os assuntos estão esgotados, neste momento. Se não escrever agora pouca diferença faz. Eu quero deixar qualquer coisa antes de adormecer. Que insistência danada. Ninguém está a ler. Ninguém vai ler. Porque insisto em dizer alguma coisa. Que tal remeter-me ao silêncio? Não consigo, pelo menos para já.

EUTANÁSIA, O QUE TE DIZ ESTE ASSUNTO?

Manuel Pereira de Sousa, 02.03.16

Será o momento? Estaremos prontos? Vamos a debate? O que fazemos? Ignoramos? És a favor ou contra? Eutanásia, o que te diz este assunto?
Uma petição recente lançou o tema para a ordem do dia. Durante muitos anos falou-se, mas desviou-se do assunto. Nunca esteve na ordem do dia. Assunto melindroso. Implica discutir, pensar, saber o que fazer. Assunto que abana a consciência individual, que não pode ser debatido de ânimo leve. Mais polémico se tornou com as recentes declarações da Bastonária da Ordem dos Enfermeiros – polémica, dizer e desdizer que em Portugal se pratica eutanásia no Serviço Nacional de Saúde. Verdade ou mentira? Estará apenas na consciência dos profissionais de saúde.
Se o assunto está na ordem do dia, vamos debater, ouvir, pensar sobre a opinião que possamos tomar sobre o assunto – sejamos abertos. Falam alguns que não estamos em tempo de debater o assunto, há outras prioridades – que outras prioridades maiores que o debate sobre a vida e a morte de um ser humano? Aberta a caixa de pandora, não basta enterrar a cabeça na areia para ignorar o assunto – é preciso enfrentar com seriedade e discutir. Não é fácil fazê-lo? Não. Será sempre um assunto onde existem dúvidas, onde as decisões não serão tão claras e evidentes. Há que ter cuidados em legislar porque a vida é um bem de valor incalculável para decisões fáceis.

A propósito deste assunto, recomendo a leitura atenta do artigo “Sim, matei quatro pessoas e defendo a eutanásia”, publicado na revista Sábado, (já com alguns anos, creio). O texto é forte, com uma elevada carga emotiva porque quem cometeu a eutanásia foi uma pessoa com valores, sentimentos, dúvidas, receios. Não quero com este texto convencer ninguém, nem a mim mesmo, quero é que sejamos convidados a pensar, a estar na pele de profissionais de saúde - que se confrontam diariamente com o sofrimento e o pedido dos doentes - e dos doentes na sua fase de desespero. Oxalá que não tenhamos que passar pelas mesmas situações.

Pág. 2/2