Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MANEL

A vida tem muito para contar e partilhar com os demais. Esta é a minha rede social para partilhar histórias, momentos e pensamentos, a horas ou fora de horas, com e sem pés nem cabeça. Blogue de Manuel Pereira de Sousa

BLOGUE DO MANEL

A vida tem muito para contar e partilhar com os demais. Esta é a minha rede social para partilhar histórias, momentos e pensamentos, a horas ou fora de horas, com e sem pés nem cabeça. Blogue de Manuel Pereira de Sousa

PARABÉNS PAI!

Manuel Pereira de Sousa, 19.03.16

Pai, parabéns!

Hoje é o teu dia. Mas o teu dia é todos os dias (um verdadeiro clichê) – que seria de nós sem os clichês? Sabes bem que és o meu herói, o modelo que desejo ser na vida porque de ti só tenho as melhores referências. Desde que me lembro, foste um protetor, mesmo quando estava em apuros de miúdo e me salvaste das palmadas da mãe. Nunca me levantaste a mão, mas o meu respeito por ti era sagrado – sempre com medo em te desiludir.

Conciliador, pacífico, calmo, sincero, trabalhador, honesto, foram sempre qualidades que apreciei e que tentei copiar para ser uma pessoa melhor – não sei se consegui. Espero que tenhas orgulho de mim, naquilo que sou hoje – acredito que sim.

Desejo que a vida permita que estejas muito tempo entre nós. Fazes-me falta.

ESTÁ UM TEMPO DE PÁSCOA

Manuel Pereira de Sousa, 19.03.16

É tempo da Páscoa. A meteorologia está mesmo a calhar – tempo meio escuro, nublado, por vezes, com uns pingos de chuva. Se não fosse assim não era a mesma coisa. Diz o velho ditado: Ramos molhados Páscoa enxuta. Por muito que lá em cima o tempo ande meio avariado, lá se vai cumprindo.

O rufar dos tambores vem lá do fundo. São sinais da procissão. Estamos em vésperas de dia de ramos, domingo de ramos. Braga prepara-se para a semana santa. É das semanas mais importantes desta cidade – a Roma portuguesa. A procissão segue por entre as ruas do centro histórico rumo à Sé. São figurantes, alguns tapados, trajes roxos – cor dominante no tempo da paixão.

Assim que a procissão recolhe, a chuva cai; grossa e impiedosa para com aqueles que preferem ficar na rua.

Será a semana das procissões, concertos e cerimónias religiosas solenes.
Tudo é preparado da forma mais meticulosa – a importância das cerimónias e o número de pessoas que acorrem à cidade assim o exige. São momentos onde a religiosidade se manifesta na rua e em que o lúdico se confunde com a fé.

É tempo de Páscoa. Tocam os sinos da Sé e a chuva pesada aceita a ordem de abrandar.