Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


O futebol anda ao rubro. Não é o que se passa dentro das quatro linhas de jogo - esse parece morno -, mas todo o negócio envolvente nos três grandes do futebol. Afinal ainda há muito dinheiro para negócios milionários. Comparado com os grandes de outros países estes negócios são trocos. Para o panorama nacional são negócios estrondosos. Parecem-me tiros no escuro. Estarei enganado porque nada percebo de futebol ou de gestão de conteúdos televisivos e de direitos de imagem.
Poderei achar tiros no escuro quando estou do lado de uma das operadoras que está a analisar estes contratos de longe e da qual se tem falado muito pouco nestas andanças, apesar do seu crescimento no mercado fixo português. Pelo que tenho assistido a conquista de direitos televisivos parece que tem sido uma guerra entre NOS e MEO, que estão em braço de ferro para saber que vale mais e quem ganha mais batalhas no mercado. Custa-me a crer que a MEO esteja a negociar nestes valores, quando tem sido público a forma como está a cortar nos custos com fornecedores de serviços e canais – algumas dessas empresas têm sentido na pele esses cortes. Porém, são as leis do mercado.

Em traços gerais temos o negócio:

- Benfica celebrado com a NOS, que permite ao Operador os direitos de transmissão dos jogos em casa por três anos, podem ser renováveis até 10 épocas; direitos de transmissão da Benfica TV, pelo mesmo período. Tudo por 400 milhões de euros. A NOS consegue recuperar os direitos de transmissão de ligas europeias que a Sport TV tinha perdido.

- FC Porto celebrou acordo com a MEO, que disponibiliza ao Operador os direitos de transmissão dos jogos em casa por 10 anos; direitos de exploração da publicidade no Estádio do Dragão por 10 anos; direitos de transmissão do Porto Canal por 12 épocas e meia. Será também patrocinador principal do FC Porto por 7 épocas. Negócio de 457,5 milhões de euros.

- Sporting anunciou acordo com a NOS, que disponibiliza ao Operador os direitos de transmissão dos jogos em casa por 10 anos; direitos de exploração da publicidade no Estádio José Alvalade também por 10 épocas; direitos de transmissão do Sporting TV por 12 épocas. A NOS será também patrocinadora principal do Sporting por 12 épocas. Um negócio anunciado por um valor de 515 milhões de euros.

 

A forma como os canais, jogos serão distribuídos pelos Operadores ainda poderá ser pouco clara para os subscritores da televisão paga. Para já, só no negócio Benfica e NOS é que se sabe mais ou menos o que vai acontecer. A Sport TV fica com as ligas europeias transmitidas pela Benfica TV e o canal da luz terá programação mais regional.

Atendendo que os Operadores estão a investir avultados valores dos seus orçamentos na compra de direitos, o consumidor fica na expectativa de saber o que sobra para o investimento na melhoria de produtos, infraestruturas, cobertura de rede e que consequências podem ter estes negócios para o valor dos pacotes que contrataram. O valor de um destes negócios tem permitido que outro operador tenha investido na melhoria da sua rede móvel e aumento da sua cobertura de fibra, sem variações agressivas de preços para o consumidor. É importante que, a par destes negócios milionários, haja o compromisso para o consumidor na melhoria da qualidade serviços prestados. O cliente quer exclusividade, mas a exigência deste sobre o mercado obriga os Operadores a terem estratégias muito cuidadas. Falamos de uma das áreas de negócio mais competitivas no país.

Autoria e outros dados (tags, etc)

AINDA NÃO FIZ A ÁRVORE DE NATAL! HÁ PROBLEMA?

por Manuel Joaquim Sousa, em 29.12.15

“Os pinheiros de Natal estão em saldo” mensagem enviada há pouco por um amigo que durante todo o mês de Dezembro me falou que deveria fazer uma árvore de Natal lá em casa. Dá um ar mais natalício à casa. Não faz sentido não a ter - diz o meu amigo -, para alguém que faz tudo por ter uma casa confortável e acolhedora. Estamos a 29 de Dezembro. O Natal já passou. Pergunto se ainda vou a tempo de fazer o pinheiro.
Hum!... creio que não. Fica para o próximo Natal. O que é contraditório porque podemos fazer a árvore de Natal em qualquer altura do ano. Então, diz-se por aí que o Natal é quando o Homem quer! Se assim é porque razão vamos ter de desmanchar o pinheiro após os Reis e guardar tudo lá no sótão? Porque razão fazem as pessoas a árvore de Natal a ponto de eu sentir alguma culpa, em não a fazer, com receio que o meu felino a desfaça nos seus tempos livres? Sim, às vezes sinto culpa de ter tão pouco espírito natalício lá em casa. O meu amigo fez questão de me ir lembrando ao longo do mês o assunto da árvore de Natal que eu consegui ir fugindo com sucesso. Chegamos a combinar ir comprar uma nessas lojas de decoração, mas quando chegava o momento de ir… havia sempre qualquer coisa para fazer e não dava para lá passar. Apesar de tudo, tive progressos natalícios este ano. Sim, isto vai com tempo. Tenho um presépio. Comprei um presépio e coloquei lá na sala num móvel, com destaque. Sim, dá um ar natalício à minha religiosidade. Até umas velas acendi para evidenciar o espírito de Natal. Dados os progressos, para o próximo Natal poderei ter árvore. Haja paciência para a enfeitar com bolas e luzinhas. Serei capaz. E se o meu felino a desmontar, deitar abaixo, já sei quem vou chamar para lá ir concertar: quem me tem massacrado o tempo todo com a árvore de Natal.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

O REGRESSO AO BLOGUE

por Manuel Joaquim Sousa, em 29.12.15

                                                                 (fonte: Youtube) 

 

Ao fim de algum tempo decidi visitar o meu blogue. Já tinha vontade de o fazer há mais dias. Tempo e disposição terão faltado para cá estar e para deixar o que quer que seja aos meus leitores. Apesar da minha ausência o blogue, pelos vistos, continua a ser lido. Coisas da rede. No momento em que decido fazer esta visita, estou sentado confortavelmente num bar e toca a música mais badalada do momento da Adele. Não resisto em dizer que “Hello” é uma coincidência. Apesar de não ser fã de Adele, nem de acreditar em coincidências dos astros, foi uma música a calhar no momento certo. Muito bem. Para os mais sensíveis aos sinais, vou considerar que é um sinal para cá continuar a escrever. Haverá quem leia, goste e não goste. O mundo democrático da rede é mesmo assim: escrever o que vai na cabeça. Escrever a quente e a frio. Sem receio do que aí vem.

Apesar da minha ausência continuei a acompanhar o circo político que se desenrolou após o dia 4 de Outubro, até termos um governo. Em grupos de amigos também discuti o momento e a caldeirada de quem é que tem legitimidade para o quê. Não fiquei alheio ao Banif - mais um presente natalício que serei obrigado a pagar com os meus impostos, que deveriam ser destinados ao Serviço Nacional de Saúde e outros bens públicos que a Constituição, poeirenta, nos consagra.

Vamos ver como será 2016 que se aproxima. Recheado de assuntos espero que seja. Estamos em época de balanços e de lançar prognósticos astrológicos para o que se aproxima. O que dizem os vossos astros? Os meus andam confusos…

Autoria e outros dados (tags, etc)

subscrever feeds




Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Dezembro 2015

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031

Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa




Tags

mais tags