Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MANEL

A vida tem muito para contar e partilhar com os demais. Esta é a minha rede social para partilhar histórias, momentos e pensamentos, a horas ou fora de horas, com e sem pés nem cabeça. Blogue de Manuel Pereira de Sousa

BLOGUE DO MANEL

A vida tem muito para contar e partilhar com os demais. Esta é a minha rede social para partilhar histórias, momentos e pensamentos, a horas ou fora de horas, com e sem pés nem cabeça. Blogue de Manuel Pereira de Sousa

O ÉBOLA É O EGOÍSMO NO SEU PIOR

Manuel Pereira de Sousa, 12.10.14
O Ébola poderia ser um vírus mais simpático se nos permitisse encontrar a cura, antes de se espalhar em forma de epidemia. O alarme por todo o mundo está instalado.

Recentemente ouvia na rádio Júlio Machado Vaz, no programa da Antena 1, "O Amor É", concluir qualquer coisa deste género (espero não ter interpretado mal as suas palavras): preocupamo-nos com o Ébola, não por uma questão de solidariedade com as pessoas que padecem até à morte com esta doença, mas porque temos medo que chegue até nós. Somos egoístas.

Certamente que todo este alarme que se está a gerar em torno da epidemia Ébola é fruto do egoísmo do mundo, que ao deparar-se de forma impotente para a devastação das mortes, que têm ocorrido nos últimos tempos, corre na procura da cura e alerta para a necessidade de prevenção. Enquanto era uma epidemia controlada em determinados países de África, bem longe dos nossos países, poucas preocupações se manifestaram e há na minha cabeça a ideia que os donos do mundo e muitos de nós pensavam e diziam: deixem-nos lá no canto deles desde que não chegue até nós; até se pode enviar uns médicos voluntários estudar o vírus, para sabermos do que se trata e até financiar uns programas de controlo e investigação, mas nada de muito caro porque existem outras prioridades mais importantes por resolver.

Por muito que me digam que se fizeram investimentos no tratamento e investigação da doença, não me sai da ideia que tudo foi por mera caridade e não para irradicação da doença ou mesmo encontro da cura. Ainda assim, o que valeu durante estes anos para essas populações africanas foram o inúmeros voluntários, desde médicos, enfermeiros e cientistas, entre outros profissionais, que destemidamente foram para o terreno procurando controlar a epidemia e ajudando as populações - sem esse voluntariado o pior há muito que tinha acontecido.

Como disse, até posso estar errado e alguém me prove que desde sempre houve o empenho máximo de governos na ajuda que deram a África. Se empenho houvesse e dinheiro existisse, nesses países as infraestruturas de saúde estavam mais desenvolvidas e capacitadas para tratamento, prevenção sem que representasse risco para as populações e para os profissionais de saúde. Sabendo que este vírus se aproveita a falta de higiene básica para uma propagação eficaz, o que fizeram os governos do mundo? De pouco nos vale fechar fronteiras para isolar pessoas, quando o mundo nunca esteve preparado para isso e quando não sabemos qual a real propagação do vírus neste momento.