Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

BLOGUE DO MANEL

A vida tem muito para contar e partilhar com os demais. Esta é a minha rede social para partilhar histórias, momentos e pensamentos, a horas ou fora de horas, com e sem pés nem cabeça. Blogue de Manuel Pereira de Sousa

BLOGUE DO MANEL

A vida tem muito para contar e partilhar com os demais. Esta é a minha rede social para partilhar histórias, momentos e pensamentos, a horas ou fora de horas, com e sem pés nem cabeça. Blogue de Manuel Pereira de Sousa

10 JUNHO - É DIA DE PORTUGAL. O PRESIDENTE JÁ DISCURSOU?

Manuel Pereira de Sousa, 10.06.15

É dia de Portugal. O Sr. Presidente já discursou? Questiono isso mesmo por saber que o Sr. Presidente discursa sempre nesta data em que se lembra Portugal, Camões e as Comunidades. Não ouvi o discurso. Acho que poucos o ouviram. Acho que poucos lhe darão ouvidos e o acharão interessante. A voz do nosso Presidente pelos vistos é assim - pouco acolhedora, pouco consensual, pouco voltada para os portugueses.

Sabem que é dia de Portugal? O que é Portugal nos dias de hoje? O que será de hoje em diante? Podemos entrar numa vertente muito filosófica e triste tal como o fado ou como o velho do restelo, que Camões falava na sua epopeia. Portugal parece ser, por vezes, um país indefinido, sem rumo e sem objetivos concretos para o futuro; sem uma imagem de marca que sirva de alavanca para a modernidade e para o crescimento. Vivemos acanhados por causa da crise e da culpa que os governantes nos depositaram pelo estado atual da economia e das finanças - somos sim culpados por quem elegemos. Creio que o nosso país está muito desaproveitado nos seus recursos materiais e humanos. Desaproveitado porque valoriza muito pouco o que tem dentro das suas fronteiras e valoriza ainda o que vem de fora. Mas, quem nos dirige pouco acredita nos portugueses e prefere aconselhar a emigrar. Se ainda vivemos na espera do D. Sebastião numa noite de nevoeiro estamos tramados porque nem ele parece querer alguma coisa de nós. Eu gostaria muito mais que viesse um Infante D. Henrique, que "agarrasse" no português e o voltasse para o futuro e lhe atribuísse uma obrigação de fazer o melhor pelo seu país na sua área. Faz falta a Portugal uma alternativa que oriente, com estratégia a longo prazo, para que o desenvolvimento e o caminho se construa geração após geração. Por vezes, ainda duvido que tenhamos soberania para conduzir o destino do país como desejamos e não ao sabor dos outros, que não sabem o que é Portugal e que conhecem tão pouco a realidade de cada português para emitirem uma qualquer opinião sobre o que deve ser feito.

Somos soberanos. Temos capacidades. Somos Portugal.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.