Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

As constantes mexidas no preço do petróleo nos últimos tempos tem provocado uma elevada procura de jumentos - burros – no IEFP; situação que já não acontece há vários anos (desde a industrialização da agricultura). As características mais solicitadas nos burros são rapidez, saber puxar o arado para lavrar a terra e com capacidade de chegar onde um trator não permite. Não é necessário qualquer curso superior, sendo a experiência profissional o suficiente para acumulação de créditos.
Este tipo de emprego não tem escapado à baixa de salários - agora também sob as novas medidas de austeridade -, sendo que, serão contratados apenas com oferta de comida em horas fixas e local para dormir.

Com este recurso a animais de tração, os agricultores esperam poupar em gasóleo e em alguma mão-de-obra se estes forem capazes de plantar e colher produtos agrícolas.

Falamos com a senhora Maria que nos explica que: «a minha ralação con estes animais já dura muitos anhos, ainda de tempo de mês pais, pois que era a única forma da gente canseguir labrar as terras».
Em relação à utilização de tratores diz-nos «eu nunca fui dessas modernices. Sempre defendi quas terras ficam bem labradas assim; melhor qu’essas máquinas e modernices que se criaram pr’aí. Também mesmo que quisesse comprar o meu Manel na sabia conduzi-las. Ele nunc’aprendeu». Em relação ao que pensa deste retrocesso na agricultura a Senhora Maria diz-nos: «já dezia mês pais que essa cousa de progresse era cousa do diabo e que no fim du mondo tiude se havria de ver e voltar ao principe. As cousas agora é que estam caminhando pro direito. Nunca devíamos ter deixado os burros, só os do goberno».
 

Além dos benefícios para a economia, evita-se que esta espécie entre em extinção.


Público: http://www.publico.pt/Sociedade/agricultores-estao-a-regressar-a-traccao-animal-para-poupar-dinheiro-em-combustivel-1561980

  

Autoria e outros dados (tags, etc)

ACABEI A MINHA LICENCIATURA

por Manuel Joaquim Sousa, em 03.09.12

É com todo o gosto que vos tenho a comunicar que terminei a minha licenciatura. Estou pronto a ingressar o mercado de trabalho – com um pouco de sorte, terei um anúncio no IEFP em que dirá só para me admitir a mim.

O curso que tirei foi com muito esforço e não foi com o recurso a créditos como o Sr.. Ministro José Relvas. Eu tirei um curso para me dedicar aos “Jobs for the Boys” (para substituir o inglês técnico que não é nada bom) – frequentei a Universidade de Verão.

Sabem o que é? Não carece de explicação. Já imagino que se estão a questionar se frequentei a do PSD ou do PS. Ok, eu respondo: frequentei as duas. Assim considero-me mais habilitado para qualquer das situações com que me depare no futuro. Com a crise que está há que investir nos estudos ou estamos tramados.

Considerei que se tratou de um curso com forte exigência e que está só ao alcance dos melhores, dos mais inteligentes e dos mais espertos. Estudei com afinco todas as matérias – posso afirmar que estou merecidamente habilitado à minha nova profissão.

Recomendo vivamente a quem vive numa situação de desemprego ou de emprego precário a investir nesta área, nos cursos da Universidade de Verão (se precisarem de uma ajudinha podem contar comigo – temos de ser uns para os outros), para ver se consegue mudar o percurso profissional sem ter que sair do país.
Pensem nesta oportunidade.

Autoria e outros dados (tags, etc)

ANUNCIO DE TRABALHO PARA A VERA PEREIRA

por Manuel Joaquim Sousa, em 29.08.12

A Vera Pereira é a mulher do momento. Arrancada à força do anonimato (sem culpa alguma) vê o seu nome nos Meios de Comunicação Social, nas Redes Sociais e na Blogosfera. Neste momento, vê-se atarefada em tentar corresponder a todas as solicitações e a responder às questões para as quais, se calhar, não tem resposta. Culpa de quem? Do IEFP, os senhores do emprego e formação profissional que publicaram no site que oferta de emprego para educadora de infância só poderia ser aceite pela Vera Pereira.

Vera, todos os portugueses sabem para onde vai trabalhar e quanto vai ser o seu salário. Para cada canto que olhe, enquanto trabalha, terá alguém com ar inquisidor a verificar se está a realizar o seu trabalho com dedicação - mais que os possíveis candidatos ao emprego que ficaram "congelados" ao ver o anuncio de um emprego que já estava destinado a alguém.

No final de contas, a Vera respondeu ao anuncio? Se estiver alheia a tudo o que se passa e se esquecer de concorrer, haverá vaga para quem necessite de emprego? Se existir mais que uma Vera Nunes, qual será o outro critério especifico de selecção? 

Porque se coloca um anuncio de emprego quando já se sabe quem é o candidato a ser escolhido? É uma imposição legal que assim o determina?

Bem, podem crer que o nosso país é fantástico na criação de ideias estapafúrdias e que geram grandes insatisfações. O IEFP acendeu um daqueles fogos, que não haverá exércitos de bombeiros que lhe valha para acalmar os efeitos repentinos da indignação.

Eu gosto do meu país, mas há sempre acontecimentos que ainda me espantam...

 

 

Alguns locais de visita:

IEFP de Faro invoca 'legalidade' na indicação de uma trabalhadora para oferta de emprego - no SOL
Delegado do IEFP de Faro nega favorecimento em oferta de emprego - JN
http://sicnoticias.sapo.pt/economia/2012/08/28/centro-de-emprego-de-tavira-publica-anuncio-de-trabalho-com-o-nome-da-pessoa-a-admitir - SIC 

Autoria e outros dados (tags, etc)

subscrever feeds




Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Maio 2017

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031

Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa




Tags

mais tags