Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Estava numa breve passagem entre links para idealizar um outro post para o meu blogue e por segundos parei a ler o título de uma notícia onde dizia que José Cid não gostou da fotografia a Quaresma, que foi capa do recente número da revista Cristina.

Bem, por mais que quisesse ignorar a notícia porque até nem gosto das "notícias" da vida dos famosos, não pude deixar de pesquisar ambas as fotografias para tentar perceber melhor a notícia - dinheiro vivo e a revista Cristina foram as fontes das fotos que publico neste post. Quando fiz uma dessas pesquisas no Google, para encontrar as imagens, reparei que o assunto até teve muita projeção na Internet - fogo!


Eis o que escreveu o tio José Cid: "Três fotos tão semelhantes e no entanto tão diferentes no seu objectivo! A de Quaresma mais recente, só vende a imagem (muito abaixo do nível das geniais trivelas). A do Bruno Nogueira no início da carreira sem saber o que fazer, sem piada nenhuma e confirmada ao longo do tempo (magrinho que parece o Gandhi). A minha (há 20 anos atrás) batendo-me pela música portuguesa solidário com os músicos e poetas esquecidos, e arrastando atrás de mim toda uma nova geração despida de preconceitos que sabem que me bato e baterei pelas causas em que todos acreditamos e que são urgentes . O resultado é simples: Vinte anos depois, tenho a partir de agora 40 grandes concertos para fazer até final de Setembro! Vemo-nos lá! Vai ser uma festa! Beijinhos e abraços. Tio Zé"

Segundo dá para perceber vinte anos separam as fotografias - Cid em nome da música, Quaresma mais relacionada com uma entrevista de vida. Propósitos diferentes, mas não deixam de ter o objetivo comum: a imagem. Mesmo que Cid pretenda dizer que o seu era diferente, acredito que (com todo o respeito que tenho por ele) a imagem foi o grande objetivo, nem que seja com a intenção de provocar. O comum são as magnificas carreiras de ambos, cada uma na sua área.

Qual das imagens permanecerá mais no tempo? Talvez a de José Cid; pela época em que foi tirada, pois naquele tempo foi muita ousadia da sua parte e foi capaz de chocar muito mais que o Quaresma nos dias de hoje. Ficará na memória por mais tempo a fotografia do José Cid porque, ainda hoje, passados 20 anos, muitos ainda se lembram e por isso é que continua a ser objeto de comentário. E aqui nem sequer a estética corporal consegue fazer grande rivalidade. Nota-se a evolução que o homem foi tendo em termos de estética e o cuidado crescente que agora temos comparado com vinte anos atrás. Mas, talvez o sexo feminino possa comentar com melhor conhecimento de causa a evolução masculina ao longo dos anos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

UM CAFÉ, POR FAVOR!

por Manuel Joaquim Sousa, em 15.07.12

 



O Verão tem andado muito envergonhado, este ano - tempo fresco, noites desconfortáveis para estar na esplanada até tarde, dias encobertos para a praia. Enfim, hoje melhorou um pouco para sairmos de casa com um espírito mais positivo. (Parece que a troika também quer cortar no Verão para ficar mais barato. Enfim...)

 

Vamos lá tomar um café, numa esplanada, num sitio sossegado; se possível, em contacto com a natureza. Quem diz um café diz uma outra coisa qualquer, que nos saiba bem.

O café é aquela bebida que está na lista dos produtos indispensáveis à vida de muitos, da grande maioria. É o produto que é consumido em grandes quantidades e que em Portugal se traduz num grande costume. Por muito que se fale dos malefícios do café, na verdade, esta é uma bebida dos deuses, que me satisfaz e muito, quando é tirado com gosto, qualidade e simpatia (os mesmos requisitos quando sou eu a tirar o próprio café, lá em casa).

Uma forma de começar bem o dia, para despertar, terminar em grande o almoço ou o jantar, uma forma de fazer uma pausa ao meio de um dia de trabalho, um motivo para estar com alguém. Melhor melhor, quando tomado com tempo, enquanto saboreio a paisagem através da esplanada ou da montra do café. Enquanto bebo café, vivo um momento de satisfação, não só pelo produto em si, mas também pelo momento que este propicia.

Procuro os locais habituais em que sei que o café é tirado como eu gosto e em que a qualidade satisfaz o necessidade da cafeína. Não é por acaso que a imagem acima tem a marca Boundi - uma marca que aprecio, como também um bom Cristina ou mesmo um Sical. Não quero pôr em causa a qualidade das demais, mas gostos são gostos. Também bebo de outras marcas, porém se tiver oportunidade da escolha obviamente que opto pela que mais me satisfaz.

Meus caros leitores, também são apreciadores de um café/simbalino/bica/expresso? Existe preferência?

 

Bem... Está na hora de me decidir a tomar um café - afinal hoje ainda não tomei nenhum e depois deste artigo estou mesmo com vontade de beber um. 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Posts mais comentados


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Maio 2017

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031

Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa




Tags

mais tags