Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


SABER COMER É UM EXERCÍCIO FUNDAMENTAL PARA VIVER!

por Manuel Joaquim Sousa, em 09.03.15

Uma sugestão de leitura: comer de forma saudável é caro? do blogue: Aprender uma coisa nova por dia.

Este texto fala sobre o custo de uma alimentação dita saudável comparativamente a outros produtos mais usados (se assim lhe posso chamar). Está escrito de forma simples e adequado à realidade que bem podemos alterar. É simples e prática a forma como nos mostrou que comer bem e saudável fica bem mais barato do que se diz por aí - as contas são a prova clara de que não tem que se gastar muito dinheiro para se comer bem.
Posso dizer que ao longo dos anos fui adaptando a minha alimentação - tenho essa facilidade porque não faço compras partilhadas ou para um agregado familiar.

A boa alimentação associada aos custos e à manutenção do peso (a pensar nos que participaram nesses programas de perder Quilos), requer mais que comer bem - saber usar as quantidades certas, associar a uma alimentação variada e a exercício físico regular. Simples? Tem o seu trabalho, mas para quem deseja manter a linha e uma alimentação saudável, tem de o fazer.

Eu, tirando um dia ou outro da semana em que gosto de comer a minha natinha, reduzi e quase eliminei os açucares da minha dieta diária (tirando aqueles que já vêm nos alimentos, mas que procuro evitar) - passou a ser muito raro comprar açúcar, dispenso o adoçante e faço questão de optar por alimentos que não contenham açucares. E depois de me habituar não quis outra coisa. É certo que compro as bolachas sem açúcar mais caras que as com açúcar; porém, quando se perde o hábito desse veneno como muito menos bolachas que anteriormente - se aproveitar as promoções das bolachas sem açúcar acabo por gastar menos dinheiro que antes. O vício do açúcar fazia com que comesse mais bolachas do que o que o corpo pedia.

Em relação ao pão, falaram aqui do pão de sementes, que faz muito bem, é caro - de facto é. Eu adoro pão de sementes. Solução: tenho uma máquina em casa para fazer pão. Compro farinha já de sementes ou então para ainda ficar mais barato compro farinha branca sem fermento, farinha integral, fermento de padeiro (nas padarias é mais barato) e compro pacotinhos de sementes de sésamo, linhaça, etc e vou pondo um pouco de tudo. Rende muito e fica a bom preço. Porém, também não tem que se comer pão de sementes todos os dias e a toda a hora.

Em relação ao leite, por exemplo, nem sempre tomo de soja (raro), mas também não é por aí que se cometam grandes pecados ao consumir leite normal.

Massas e arroz utilizo o normal porque se comermos em quantidades pequenas e optar menos arroz e massa por mais legumes ainda melhor.

Legumes e frutas há muito por onde escolher e a variados preços - por vezes, aquelas frutarias de bairro ou nos mercados encontra-se qualidade e bom preço. Uma boa sopa com variedade de legumes às refeições compõe o estômago e depois já se pode dispensar de mais massa ou arroz ou quantidades de peixe e carne desnecessárias. O grão, feijão de tantos tipos dá para fazer inúmeros pratos diferentes e muito nutritivos - é só ter vontade para tal.

Desde que comecei a variar muito nos legumes (salteados, cozidos, etc), usar a soja granulada, comecei a dispensar muito da carne e do peixe, que não tem que se comer todos os dias. Aí vão notar a diferença no orçamento alimentar. Mesmo que usem carnes, se optarem por carnes brancas como frango e o peru são mais em conta que carnes vermelhas mais prejudiciais e que devemos consumir com menor frequência.

Utilizar a fruta para substituir pão em excesso. Utilizo a fruta para evitar colocar sempre manteiga. Substituir manteiga por queijo fresco magro para obter cálcio são outras as opções que utilizo.

Ainda em relação aos açucares, para os mais gulosos que gostam de uma compota, sai muito mais barato fazer marmelada em casa ou com outras frutas e assim sabermos qual a quantidade de açúcar que podemos cortar na altura de as adoçar. Não tem que se fazer todas as semanas ou meses porque bem conservadas duram imenso tempo (tenho marmelada que dura muita mais que uma ano).

Deixar o fritos de lado vai compensar para comprar azeite, que rende muito na cozinha porque se utiliza em quantidades residuais e mais para dar sabor aos cozinhados ou às sopas.

Há muitas alternativas para ter uma alimentação variada, cuidada e que permitam ter uma saúde equilibrada dentro do possível. Comer várias vezes ao dia e pouco de cada vez faz toda a diferença para o nosso organismo. Mas, para ter um corpo em forma é muito importante o exercício físico e mente sã.

Posso estar errado, mas, por vezes, desperdiçamos mais do que devíamos. Será?

Autoria e outros dados (tags, etc)


4 comentários

Imagem de perfil

De Cristina Torrão a 09.03.2015 às 19:24

Claro que desperdiçamos mais do que devíamos, a nossa é uma sociedade do desperdício :(
Não é o caso do Manuel, constatei que temos hábitos parecidos, no que respeita à alimentação. Também eu faço refeições com pouca carne, de preferência branca, e, de vez em quando, faço um dia vegetariano.
Também uso sementes de sésamo, linhaça, girassol e abóbora no pão. Não tenho máquina de fazer pão, mas, por exemplo, se comer uma fatia de pão com mel, ponho as sementes em cima do mel. O mesmo com compotas. De resto, eu vivo na Alemanha, onde o pão é mais caro do que em Portugal, mas, por outro lado, há imenso pão com sementes à venda.
Quanto ao açúcar, é uma tristeza. É tudo tão doce... E não há meio termo! Por exemplo: só há iogurtes naturais, sem açúcar nenhum, ou iogurtos extremamente doces. As bolachas e os bolos também são cada vez mais doces. Nesse aspeto, na Alemanha exagera-se muito e quase não há alternativas. Enfim, podem-se comprar iogurtes naturais e adoçar a gosto em casa. O pior são as bolachas! Mesmo as integrais são doces como o caneco!
Imagem de perfil

De Manuel Joaquim Sousa a 09.03.2015 às 23:37

Infelizmente à pouco cuidado quanto ao açúcar nos alimentos. Talvez a ideia seja aumentar a este produto para que o consumidor fique mais dependente deste e cada vez mais necessitado de açúcar. Comecei a cortar no café e mais tarde em tudo o resto, para evitar uma dependência que estava a ter.
Desperdiçar sim, muito. Comemos sempre mais do que o que necessitamos...
Imagem de perfil

De André a 30.06.2015 às 09:13

Parabéns Manuel pelo seu blog.
Concordo que há muitas opções para termos uma alimentação mais saudável e variada, um pouco em função da sociedade, da vida cada vez mais stressante e de nós próprios que nos "deixamos" levar e o resultado é a degradação da saúde.

No meu caso particular, o "sino" já tocou há algum tempo e os açucares foram retirados (há pequenas exceções), fritos, leite e derivados também não fazem parte da minha alimentação.
Como disse o Manuel o exercício físico também é essencial para o nosso bem estar.

André
Imagem de perfil

De Manuel Joaquim Sousa a 01.07.2015 às 23:53

Obrigado pela visita. Volte sempre :)

Que muita gente possa evitar os "sinos" com uma alimentação saudável.

Cumprimentos,
MJS

Comentar post




Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Março 2015

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031

Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa




Tags

mais tags